O Fundo Monetário Internacional (FMI) considera que a zona euro está a recuperar, mas alerta para a necessidade de reformas em “todos os países”, e sugere a Portugal que aproveite este contexto para fazer aumentar a sua ‘almofada’ financeira.

Num relatório preliminar de análise à Zona Euro, divulgado na quinta-feira à noite, o FMI afirma que “a recuperação está a fortalecer-se e tornar-se mais abrangente”, com maior consumo privado e criação de emprego, mas continuam a ser necessárias “reformas estruturais nos países, de modo a estimular a produtividade, reduzir as lacunas de competitividade, e ajudar a reavivar a convergência de rendimentos em toda a união”.

A Portugal, Itália e França, países com elevada dívida e “pouca ou nenhuma margem fiscal”, o FMI aconselhou a “consolidarem-se gradualmente, de uma forma que estimule o crescimento, para reconstruírem as ‘almofadas’ financeiras, aproveitando a vantagem da recuperação”.