O Ministério dos Transportes japonês inspecionou esta sexta-feira a sede da Mitsubishi Motors, em Tóquio, a propósito da investigação relacionada com a falsificação de dados sobre o consumo de combustível em alguns modelos dos seus carros.

Os funcionários do ministério, que já visitaram as oficinas do fabricante automóvel em Okazaki, no centro do Japão, para uma primeira inspeção no final de abril, deslocaram-se à sede da Mitsubishi na capital após considerar insuficiente o relatório interno apresentado na quarta-feira.

Nesse relatório, a empresa explica que um dos seus encarregados da área de desenvolvimento de produtos indicou ao gerente de uma filial responsável por fazer os testes de combustível que utilizasse dados melhores do que os obtidos para se cumprirem objetivos definidos, indicam os meios de comunicação social nipónicos.

Recorde-se que a Mitsubishi admitiu no final de abril ter utilizado métodos de testes inapropriados nos últimos 25 anos, ampliando o escândalo de fraude do desempenho energético de uma parte dos seus veículos revelado recentemente.

Foi a 20 de abril que a fabricante admitiu ter manipulado testes de emissões poluentes em, pelo menos, 625.000 veículos, alguns dos quais precisamente construídos para a Nissan.

A propósito, a Nissan Motor anunciou ontem que quer comprar 30% da Mitsubishi Motors por 200 mil milhões de ienes, cerca de 1.615 milhões de euros e as negociações já começaram.