O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Frank-Walter Steinmeier, afirmou hoje em Berlim que a resposta de Portugal à crise económica e financeira «merece o maior respeito» da Alemanha.

O governante alemão destacou que «Portugal começou a crescer novamente, as exportações começaram a crescer e a balança comercial voltou para terreno positivo após sete décadas», na abertura do II Fórum Luso-Alemão, que decorre hoje e na terça-feira.

«Este caminho merece o nosso maior respeito», declarou Steinmeier, que hoje de manhã se reuniu com o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete.

O chefe da diplomacia alemã reconheceu a dificuldade de implementar as medidas adotadas em Portugal no âmbito do programa de ajustamento.

«As reformas que são necessárias são coisas bem concretas e reais sentidas pelas pessoas. Os portugueses toleraram uma redução do seu nível de vida», afirmou.

«Sei muito bem, por experiência própria, como é difícil convencer as pessoas de que este caminho é necessário. O que se sente são os cortes, mas a colheita dessas medidas só se faz sentir muito mais tarde. Essa falta de simultaneidade entre cortes e resultados positivos faz com que a política seja tão difícil», declarou o ministro.

Frank-Walter Steinmeier comentou que atualmente o debate do Governo português e dos parceiros europeus é o de «como irá Portugal caminhar pelo seu próprio pé», mas não adiantou qualquer solução.

Manifestando-se confiante de que a crise económica e financeira «será ultrapassada», o governante alemão mostrou-se mais preocupado com «a crise política que está ao virar da esquina», com o surgimento de «muitos movimentos eurocéticos ou hostis» à Europa.

«Não basta lamentar nem escamotear. Temos de levar bem a sério as preocupações das pessoas que votam nesses partidos», avisou.