O futuro patrão da Caixa-Seguros, Guo Guangchang, presidente do grupo Fosun, é um dos 42 multimilionários com assento no principal órgão de consulta do Partido Comunista e do Governo da China.

Guo Guangchang, que figura em 31.º na lista dos maiores multimilionários chineses compilada pela revista Forbes no final de 2013, não é, contudo, o mais rico dos parlamentares reunidos esta semana no Grande Palácio do Povo, em Pequim.

A fortuna de Guo Guangchang está estimada em 3,250 mil milhões de dólares (2,38 mil milhões de euros), muito menos do que a de Xu Jiayin, proprietário do Guangzhou Evergrande, o campeão chinês de futebol, que é também membro da Conferência Política Consultiva do Povo Chinês (CPCPC).

Constituída por 2.337 membros, a CPCPC é um órgão sem poderes legislativos, cuja sessão anual decorre paralelamente à reunião plenária da Assembleia Nacional Popular (ANP), iniciada na quarta-feira passada com cerca de 3.000 delegados.

No conjunto, as duas câmaras têm 94 multimilionários, com uma fortuna global de 1,04 biliões de yuan (cerca de 123 mil milhões de euros), segundo contas citadas hoje no Global Times, jornal de língua inglesa do grupo Diário do Povo, o órgão oficial do Partido Comunista Chines.

O mais rico de todos, que ocupa o 2.º lugar da lista da Forbes, com 11,2 mil milhões de dólares (8,175 mil milhões de euros), é o patrão do fabricante de refrigerantes Wahaha, Zong Qinghou.

Guo Guangchang, 47 anos, é muitas vezes designado na imprensa como «o Warren Buffet da China». O grupo Fosun, de que foi um dos fundadores, no início da década de 1990, é considerado um dos mais lucrativos consórcios privados do país.

Em janeiro passado, o Governo português aceitou a oferta do Fosun para comprar 80% das três seguradoras da Caixa Geral de Depósitos por 1.000 milhões de euros. O outro candidato, cuja proposta foi rejeitada, era o grupo norte-americano Apollo Management International.

A sessão anual da Assembleia Nacional Popular chinesa decorre até à próxima quinta-feira.