Um dos maiores investidores chineses em Portugal, o grupo Fosun, acrescentou, esta segunda-feira, mais uma conhecida marca global à sua carteira, o Cirque du Soleil.

O presidente do Grupo Fosun, Guo Guangchang, descreveu a aquisição de 25% da daquela companhia canadiana como "um marco" do desenvolvimento do grupo no domínio do entretenimento cultural".

Considerado um dos mais lucrativos consórcios privados chineses, o Fosun já é proprietário do Club Méditerranée e este ano comprou uma participação na agência de viagens britânica Thomas Cook.

Estas aquisições ilustram, segundo Guo Guangchang, o empenho do Grupo Fosun em criar "uma indústria que proporcione um estilo de vida mais feliz", nomeadamente à emergente classe média chinesa.

O Cirque du Soleil, fundado há 31 anos, já atuou em mais de 300 cidades de 50 países, e ao longo da história, atraiu cerca de 150 milhões de espetadores, salientou o presidente da companhia, Daniel Lamarre, ao assinar a "parceria estratégica" com o grupo Fosun.

"A China era a peça que faltava ao Cirque du Soleil", disse Lamarre.

O Grupo Fosun é um dos candidatos à compra do Novo Banco, o que a concretizar-se será o seu terceiro grande investimento em Portugal.

Aquele consórcio chinês já detém cerca de 85% da companhia de seguros Fidelidade e comprou também a empresa Luz-Saúde.