Em vida, nem todos fizeram avultadas fortunas, mas quase todos ganharam muito dinheiro e todos foram, por um motivo ou outro, bafejados pela fama. Depois de mortos, continuam a faturar milhões todos os anos. A revista Forbes elaborou uma lista das personalidades que, mesmo mortas, só no ano passado, rechearam as carteiras dos herdeiros ou das marcas a que ainda emprestam a imagem.
 
São atores, atrizes, músicos, cientistas. O seu trabalho atravessou gerações e a tendência para fazer dinheiro também. Conheça as personalidades que já não estão no mundo dos vivos, mas, em 2014, mais faturaram.
 

Michael Jackson: 115 milhões de dólares (mais de 104 milhões de euros)

Pelo terceiro ano consecutivo, a lista é encabeçada pelo Rei da Pop. Morreu em 2009, quando tinha 50 anos. A fortuna continua a engrossar todos os anos, às custas de direitos de imagem e direitos de autor.
 
Ainda assim, em 2014, ganhou muito menos que no ano anterior, em que tinha faturado 140 milhões de dólares (quase 127 milhões de euros).
 

Elvis Presley: 55 milhões de dólares (quase 50 milhões de euros)

Só em bilhetes para Graceland, o parque temático que o homenageia, Elvis fatura mais dinheiro que muitas estrelas da atualidade. E a música que o popularizou há mais de 40 anos continua a render muito dinheiro.
O Rei do Rock morreu em 1977, aos 42 anos, de ataque cardíaco.
 

Charles Schulz: 40 milhões de dólares (mais de 36 milhões de euros)

O nome pode nem lhe dizer grande coisa, mas se lhe falarmos do bom e velho Charlie Brown, vai, sem dúvida recordar-se. Charles Schulz é o criador do Peanuts, que continuam a engrossar a fortuna do “pai”, mesmo depois de morto.
 
O “pai” de Charlie Brown morreu em 2000, quando tinha 77 anos.
 

Bob Marley: 21 milhões de dólares  (19 milhões de euros)

Tinha apenas 36 anos, quando morreu, de cancro, em 1981. Continua a ganhar milhões, 35 anos depois, sobretudo às custas da sua imagem que povoa tshirts, canecas, canetas e outros objetos do dia-a-dia.
 

Elizabeth Taylor: 20 milhões de dólares (18 milhões de euros)

Em vida, colecionou maridos e… dinheiro. Depois de morta (morreu em 2011, aos 79 anos, de ataque cardíaco), continua a faturar. O perfume da diva do cinema, White Diamonds, continua a vender, 24 anos após a sua criação.
 

Marilyn Monroe: 17 milhões de dólares (15,5 milhões de euros)

Quase 60 anos após a sua morte, a estrela de Hollywood continua a ser um icone. O grupo Authentic Brand comprou os direitos da marca em 2011 e deu-lhe uma nova vida. Agora, a eterna loira do cinema dá nome a uma marca de roupa e de lingerie.

Marilyn Monroe morreu em 1962, na sequência de uma overdose. Tinha 36 anos.
 

John Lennon: 12 milhões de dólares (11 milhões de euros)

Foi assassinado em 1980, quando tinha 40 anos, por um fã. Continua a fazer dinheiro, sobretudo em direitos de autor e de imagem. O espetáculo do Cirque du Soleil “Love!”, baseado na vida dos Beatles também contribuiu muito para esta faturação no ano passado.
 

Albert Einstein: 11 milhões de dólares (10 milhões de euros)

Da lista, foi um dos que morreu há mais tempo: em 1955, aos 76 anos, de causas naturais. Mas a imagem do cientista continua a valer milhões.
 

Paul Walker: 10,5 milhões de dólares (9,5 milhões de euros)

Popularizou-se no cinema nos filmes de velocidade e morreu num aparatoso acidente de automóvel há dois anos, quanto tinha 40. Continua a faturar milhões em direitos de imagem.
 

Bettie Page: 10 milhões de dólares (9 milhões de euros)
 
A eterna menina da Plauboy morreu em 2008, aos 85 anos. O seu sex appeal ainda rende milhões em linhas de roupa e de lingerie.
 

Theodor Geisel: 9,5 milhões de dólares (8,6 milhões de euros)

Escritor, cartoonista e guionista norte-americano ficou conhecido pelo pseudónimo Dr. Seuss. Popularizou-se com livros infantis como The Cat In The Hat, que se traduziram em filmes e parques temáticos, que contribuem para o 11º lugar na lista da Forbes.


Steve McQueen: 9 milhões de dólares (8,1 milhões de euros)

Morreu em 1980, aos 50 anos, na sequência de complicações pós-cirurgicas, mas a imagem deste icone de Hollywood ainda está associado a marcas conceituadas como a Tag Heuer e a Barbour.
 

James Dean: 8,5 milhões de dólares (7,7 milhões de euros)

Morreu extremamente jovem, de forma trágica, num acidente de automóvel, facto que ajudou a torná-lo ainda mais icónico. James Dean continua a emprestar a imagem a marcas como Dolce & Gabbana.