O Parlamento Europeu aprovou esta quinta-feira a mobilização do Fundo de Solidariedade da União Europeia para ajudar Portugal na sequência dos incêndios florestais que assolaram o país no ano passado, no valor de 50,6 milhões de euros. O valor já tinha sido anunciado pela Comissão e foi agora aprovado pelo Parlamento Europeu.

O apoio financeiro do Fundo de Solidariedade da União Europeia (FSUE) visa ajudar a cobrir os custos das medidas de emergência e contribuir para o restabelecimento das infraestruturas danificadas", diz um comunicado do Parlamento.

A proposta de mobilização do FSUE foi apresentada pela Comissão Europeia em 15 de fevereiro, no seguimento do pedido de assistência financeira enviado pelas autoridades portuguesas em 17 de julho de 2017 e atualizado em 13 de outubro e 14 de dezembro, na sequência dos incêndios florestais que assolaram Pedrógão Grande e outras localidades do Centro e Norte do país. Um adiantamento de 1,5 milhões de euros do FSUE foi entregue a Portugal em novembro.

Para além dos 50,6 milhões de euros para Portugal, a proposta, hoje aprovada em plenário por 629 votos a favor, 21 contra e nove abstenções, prevê também "a concessão de assistência financeira à Espanha (3,2 milhões de euros), relacionada com os incêndios na Galiza, à França (49 milhões), devido aos furacões em São Martinho e Guadalupe, e à Grécia (1,3 milhões), na sequência dos sismos na ilha de Lesbos."