O antigo diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) Rodrigo Rato vai ser julgado em Espanha por desvio de fundos num banco onde os executivos detinham cartões de crédito para despesas ilimitadas e sem controlo, anunciou a justiça espanhola esta segunda-feira.

Um juiz da Audiência Nacional, o tribunal responsável pelos julgamentos de assuntos financeiros, aceitou as recomendações do Ministério Público e decidiu levar a julgamento Rodrigo Rato e 65 outros altos quadros do Bankia, o sucessor do Caja Madrid, por "desfalque", avançou hoje a agência de notícias espanhola (EFE).

A data do julgamento ainda não está decidida, mas vão também ser averiguados na justiça as condições da dispersão em bolsa do Bankia e as suspeitas de fraude fiscal.