O Governo português já pediu luz verde a Bruxelas para poder antecipar mais um reembolso ao Fundo Monetário Internacional, escreve o Jornal de Negócios.

 

São quatro mil milhões de euros, que se juntam aos 6.600 milhões de euros que o Estado português já reembolsou este ano.

 

Definidas estão também as devoluções a realizar em 2016 e 2017, que serão de cerca de sete mil milhões em cada ano.

 

Portugal vai assim pagar ao FMI mais 18 mil e 700 milhões de euros antecipadamente durante os próximos três anos.

 

Desta forma, entre 2018 e 2020 o Executivo apenas terá de pagar juros.