A capitalização da Caixa Geral de Depósitos pode levar ao cancelamento dos reembolsos antecipados ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

O Estado vai desembolsar 2.700 milhões de euros para financiar a Caixa. Esse valor faz parte da almofada financeira que iria ser utilizada para reembolsar antecipadamente os empréstimos do FMI, feitos a Portugal no âmbito do resgate financeiro.

A presidente da agência que gere a dívida pública, Cristina Casalinho, admitiu em entrevista ao Negócios, que este ano os pagamentos ao Fundo poderão ficar abaixo dos 6,6 mil milhões previstos.