O tabaco é a mais importante fonte de receita de impostos ambientais pagos pelas famílias portuguesas. Cada fumador paga, em média, 766 euros por ano pela carga fiscal sobre os cigarros que consome, adianta o jornal Público.

A taxação sobre o tabaco é uma das 28 formas de impostos e taxas em Portugal com «relevância ambiental», segundo a classificação do Instituto Nacional de Estatística. Mas o Governo quer mexer neste leque de receitas, de modo a aumentar a base dos impostos ambientais, para permitir uma redução na fiscalidade sobre o trabalho.

Neste momento ainda não se sabe onde irão recair as mudanças. O maior ónus da carga fiscal ambiental atualmente está sobre as famílias, que em 2012 pagaram 62% dos 5.028 arrecadados com este tipo de impostos.