O presidente do Novo Banco defende que a missão da banca não é financiar startups e antecipa desde já que o papel "relevantíssimo" que o setor teve há alguns anos na ajuda a estas novas empresas deixará de existir.

"A missão da banca não é financiar startups, é conceder crédito à habitação, crédito ao consumo, crédito às PME (Pequenas e Médias Empresas)"

Para Eduardo Stock da Cunha, "vamos ter de assistir à emergência de novos atores" que sejam capazes de financiar estas micro e pequenas empresas em início de atividade.

É necessário "ter humildade para perceber que o setor vai ajustar-se", defendeu ainda, citado pela Lusa. 

O presidente do Novo Banco participou esta segunda-feira num painel, no âmbito do lançamento do estudo Global C-Suite Study, iniciativa da International Business Machines (IBM).

Stock da Cunha deverá ir esta semana ao Parlamento, por requerimento do PS, para responder aos deputados sobre o impacto social resultante dos possíveis despedimentos que foram anunciados no banco, que quer cortar 1.000 postos de trabalho. Recorde-se que 500 já saíram no processo de rescisões amigáveis. A administração