A propósito do Dia do Microempresário, que se assinala este sábado, a Associação Nacional de Direito ao Crédito (ANDC), especializada na atribuição de microcrédito, fez um balanço a dar conta de que financiou mais de 1.900 projetos, nos últimos 15 anos. Quase 11,2 milhões de euros foram canalizados para esse fim.

Destinado a apoiar pessoas que não têm acesso ao crédito bancário, mas querem desenvolver uma atividade económica por conta própria, o microcrédito é um pequeno empréstimo bancário, cujo conceito foi criado por Muhamad Yunus, Prémio Nobal da Paz 2006.

Se nos centrarmos apenas nos dados deste ano, até meados de novembro foram creditados 143 projetos a nível nacional, de acordo com os Indicadores de Atividade do Terceiro Trimestre da ANDC, que são citados pela Lusa. Ou seja, o número de projetos apoiados desde 1999 cresceu para um total de 1.914.

Este ano, o valor acumulado dos projetos creditados é de quase 1,4 milhões de euros, aumentando o montante nos últimos 15 anos para cerca de 11,2 milhões de euros.

Por comparação, em 2013, foram creditados 115 projetos num valor total de pouco mais de um milhão de euros.

Lisboa é o distrito com o maior número de novos créditos atribuídos (24) este ano, seguido de Viseu (19) e Vila Real (17). Por outro lado, nos distritos de Évora e de Portalegre não foram atribuídos novos créditos até meados de novembro e em Castelo Branco foi concedido um novo crédito.

Em 2014, os novos créditos foram atribuídos na sua grande maioria a empreendedores homens (57%), com o 12.º ano de habilitações literárias (39%) e com idades entre os 31 e os 40 anos (38%).

Mais de metade dos novos créditos foi concedida a projetos de comércio por grosso e a retalho e de reparação e manutenção de automóveis (37%) e a projetos na área do alojamento, restauração e similares (14,7%).

As novas candidaturas ao microcrédito subiram de 1.689 em 2013 para 1.877 em 2014.