Os Estados Unidos vão rever o financiamento de 400 milhões de dólares (351 milhões de euros) anuais a Moçambique, após a descoberta de dívidas ocultadas nas contas públicas moçambicanas, avança um comunicado da embaixada norte-americana em Maputo enviado esta segunda-feira à Lusa.

"À luz da atual situação e da nossa responsabilidade perante os contribuintes americanos que providenciam estes fundos, iremos também rever a nossa assistência, em particular qualquer assistência prestada ao Governo central", declara a embaixada norte-americana, seguindo a posição já tomada pelo grupo de 14 doadores do orçamento do Estado.

Os Estados Unidos não integram o chamado G14, mas apresentam-se como "o maior doador bilateral" de Moçambique, num montante de cerca de 400 milhões de dólares anuais (351 milhões de euros).