A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, disse que «não se proporcionou» falar com o seu homólogo grego, Yanis Varoufakis, na reunião desta segunda-feira do Eurogrupo, em Bruxelas, mas acrescentou que «não há nada para esclarecer» entre ambos.

No final de um encontro do fórum dos ministros das Finanças da zona euro, o primeiro desde que o governo grego acusou os governos de Portugal e de Espanha de terem tentado inviabilizar um compromisso relativamente ao prolongamento da assistência financeira a Atenas, Maria Luís Albuquerque, questionada sobre se teve oportunidade de esclarecer o assunto com Varoufakis, disse que não foi o caso mas que também não era necessário.

«Quando o ministro grego entrou na sala, eu já lá estava e não se proporcionou, mas não há nada para esclarecer entre nós os dois, de todo», afirmou.

Perante a insistência dos jornalistas, que questionaram a ministra sobre a polémica em torno das acusações do governo de Alexis Tsipras - que motivaram mesmo queixas dos governos de Lisboa e Madrid junto de Bruxelas -, Maria Luís Albuquerque reforçou que «não há nada para esclarecer» e acrescentou que, em sua opinião, o assunto «não merece grande desenvolvimento».

Já o homólogo espanhol abraçou o colega grego, um sinal de que o diferendo está ultrapassado.