A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, sublinhou esta quarta-feira que «esta não é altura de recuar», mas sim de «persistir, com exigência e responsabilidade». A governante está esta manhã no parlamento para explicar o Orçamento do Estado para 2014.

Maria Luís Albuquerque voltou a negar que haja qualquer negociação sobre o fim do programa da troika em Portugal: «Portugal segue atentamente o que a Irlanda estará a negociar, mas é preciso avaliar e perceber até que ponto o precedente deve ser usado, perceber as vantagens e desvantagens. Não há nada em cima da mesa neste momento», garantiu.

Redução de despesas com pessoal tem de ser permanente

A ministra das Finanças aproveitou também para responder àqueles que têm, criticado uma visão que consideram ser demasiado otimista do Governo, relativamente às previsões. A governante sublinhou que «ninguém tem uma bola de cristal», por isso, e face à incerteza económica que, diz, não é exclusiva de Portugal, «podemos cometer erros de previsão».

Apesar de o admitir, a governante lembrou que as previsões menos otimistas também podem estar erradas: «As previsões não são receitas infalíveis», concluiu.