Os lucros do Millennium BCP em Macau em 2014 aumentaram 1% para 206,9 milhões de patacas, um valor que convertido para euros representa 21,3 milhões e traduz uma subida de 14% face ao ano anterior.

De acordo com o balancete do banco publicado em Boletim Oficial, nota a Lusa, a sucursal de Macau do Millennium BCP, que operou entre 1993 e 2010 apenas na vertente offshore e tem desde 2010 licença plena de operação, tinha depósitos de 11.446 milhões de patacas (cerca de 1.179 milhões de euros ao câmbio do final do ano) e registava um crédito a clientes de 8.613,3 milhões de patacas (cerca de 887 milhões de euros ao câmbio do final do ano).

Na comparação com 2013 e atendendo aos valores em euros, no ano passado os empréstimos da sucursal de Macau do BCP subiram 2%, enquanto os depósitos se ampliaram-se 8,8%.

A depreciação do euro terá sido o fator principal para os resultados mais positivos na moeda única europeia.

O Millennium BCP é um dos quatro bancos portugueses a operar em Macau, sendo que a Caixa Geral de Depósitos e o BPI se dedicam apenas à vertente ‘offshore’, enquanto o Novo Banco Ásia possui também licença plena.

Em Macau opera ainda, como banco comercial e emissor de moeda, o Banco Nacional Ultramarino, do grupo Caixa Geral de Depósitos.

Macau é desde 20 de dezembro de 1999 uma Região Administrativa Especial da China com autonomia administrativa, executiva e judicial.

A economia de Macau está assente nos serviços, com o setor do turismo, especialmente o jogo em casino, a afirmar-se como a principal fonte de receita pública devido aos impostos diretos de 35% cobrados sobre as receitas brutas apuradas nos espaços de jogo e de 4% de indiretos canalizados para fins diversos como a promoção turística.