O JPMorgan Chase chegou a acordo num caso judicial em que era acusado de manipulação do mercado cambial em proveito próprio, revelou uma fonte conhecedora do processo à AFP.

A JPMorgan não deve divulgar os termos financeiros do acordo com os queixosos, que incluem fundos de investimento importantes, governos de cidades e fundos de pensões, especificou a fonte, que solicitou o anonimato.

Mas, adiantou, o acordo deve envolver um montante em torno dos mil milhões de dólares (838 milhões de euros). Outra fonte acrescentou que o acordo não deve ter impacto nas contas do banco.

O banco era um dos 12 indicados na queixa apresentada em março, onde se alegava que os seus quadros conspiraram para manipular as taxas no multibilionário mercado cambial do dólar, prejudicando os clientes, ao mesmo tempo que aumentavam os lucros dos bancos.

Vários dos principais bancos internacionais estão sob investigação nos EUA, na Europa e na Ásia por manipulação do mercado cambial.

Na queixa de março constam também Crédit Suisse, UBS, BNP Paribas, Barclays, HSBC, Royal Bank of Scotland, Deutsche Bank, Bank of America, Citigroup, Goldman Sachs e a Morgan Stanley.