A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, garantiu esta sexta-feira no Parlamento que não existe derrapagem na despesa. «A execução orçamental está sob controlo. Não existe qualquer derrapagem da despesa, sendo o aumento da despesa de natureza extraordinária, os seus efeitos são de natureza temporária», afirmou a governante no debate que antecede a votação.

A explicar esta segunda alteração do orçamento, depois de uma apresentada logo em maio, está o facto do nível de poupanças esperadas com a execução de fundos comunitários ter ficado abaixo do esperado, da receita com a concessão de portos que passou a estar prevista para 2014, e com uma revisão em baixa da receita contributiva para a Caixa Geral de Aposentações.

Maria Luís Albuquerque garante no entanto que as contas do Estado estão no bom caminho e que, para compensar estes desvios face às estimativas do primeiro retificativo, o Governo já anunciou o regime excecional de regularização de dívidas fiscais e à Segurança Social.