Os investidores estrangeiros estão cada vez mais ativos no mercado nacional, em especial nos títulos do setor financeiro, escreve o Jornal de Negócios. A aposta é visível olhando para a evolução do peso dos estrangeiros na estrutura acionista dos bancos.

No BCP, por exemplo, entre o final de 2011 e atualmente, o preso dos estrangeiros quase duplicou, passando de 15% para 28%. No caso do BES, os estrangeiros têm cerca de 30% do capital.

A aposta dos investidores estrangeiros vem dar à banca uma maior segurança. O setor já assumiu perdas elevadas, pelo que serão necessárias menos provisões ou até serão gerados ganhos.