A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, afirmou hoje após um encontro com investidores financeiros em Londres que estes estão bem informados sobre a situação de Portugal e que o clima é «claramente positivo».

«Todas as pessoas estão mais bem informadas sobre Portugal agora do que tipicamente estavam no passado. Naturalmente que a atenção não se virou para Portugal pelas melhores razões, mas neste momento estão bem informados e o clima é claramente mais positivo. Gostam de interagir com os membros do governo, perguntar o que se passa, quais são as perspetivas para o futuro, como é que vemos a situação daqui para a frente. E nada substitui um diálogo cara a cara em termos de explicar aos investidores qual é a situação do país», disse a ministra à saída do encontro a um grupo de jornalistas portugueses.

Uma das perguntas, admitiu Maria Luís, foi sobre se Portugal vai ou não pedir um programa cautelar após o final do Programa de Assistência Financeira, no próximo mês, à qual a ministra diz ter respondido que o governo ainda está a avaliar os prós e contras e depois comunicará o que decidiu.

«Eu disse a verdade, que Portugal ainda não decidiu. Mas o que é relevante aqui é se a saída é com ou sem linha de crédito cautelar. Outros cenários já não estão em cima da mesa. E isso é um aspeto positivo a ter em conta», vincou a ministra.

Entre hoje e quinta-feira, a governante tem agendados encontros com bancos de investimento e gestores de ativos e ainda com jornalistas de duas publicações financeiras.

Londres tem sido uma das escalas mais frequentes para membros do governo se encontrarem com investidores e explicarem os resultados do programa de assistência financeira, nomeadamente Vitor Gaspar, antecessor de Albuquerque, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, o vice primeiro-ministro, Paulo Portas, enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros, o antigo ministro da Economia,

Álvaro Santos Pereira e o atual, Pires de Lima.

«Ainda não tinha tido oportunidade de vir a Londres enquanto ministra das Finanças por uma questão de agenda. Vou para reuniões da Primavera [do Banco Mundial e Fundo Monetário Internacional] em Washington esta semana e pareceu-me boa oportunidade para vir a Londres também», explicou Maria Luís Albuquerque.

Segundo a ministra, «o contacto com investidores, com pessoas relevantes no mercado é sempre útil. É sempre muito importante dar informação sobre o que corre bem e o que corre menos bem. É muito importante que o mercado esteja informado».