A primeira prestação para a compra do BESI pela Haitong Internacional Holding Limited (HTIH), no valor de 56,85 milhões de euros, será paga até 19 de dezembro, anunciou aquela empresa chinesa.

A informação foi prestada à Bolsa de Hong Kong na terça-feira, já depois do fecho do mercado de capitais daquela Região Administrativa Especial da China, onde a HTIH está cotada e tem a sua sede.

Subsidiária da Haitong Securities, empresa financeira estatal, sedeada em Xangai, a HTIH vai comprar o BESI ao Novo Banco por 379 milhões de euros, conforme acordo celebrado na segunda-feira em Lisboa.

A finalização do acordo está agora «dependente das necessárias aprovações, nomeadamente junto do Banco de Portugal, da Comissão Europeia, das autoridades da concorrência e de um conjunto de outras autoridades que exercem supervisão direta sobre a entidade compradora», indicou o Novo Banco à Comissão do Mercado de Valores Imobiliários.

Depois de cumpridas todas as formalidades e o pagamento do montante total da aquisição, o BESI «passará a ser uma subsidiária direta do HTIH», diz o comunicado da empresa chinesa.

A Haitong é o quarto grande grupo chinês a investir em Portugal nos últimos três anos, depois da China Three Gorges, da State Grid e da Fosun.

A compra do BESI «trará um significativo valor estratégico» à Haitong, proporcionando nomeadamente a «partilha de canais de venda, fontes financeiras e relacionamento entre clientes», assinala o comunicado da empresa chinesa.
A Haitong afirma também que «está otimista quanto à expansão dos negócios relacionados com a banca de investimento».

De acordo com o site da empresa, a Haitong foi uma das primeiras companhias de valores mobiliários da China, fundada em 1988, e conta hoje com cerca de 4,6 milhões de clientes.