O Governo está a preparar um decreto-lei que prevê a conversão dos impostos diferidos em créditos fiscais para os bancos, em moldes semelhantes ao recente plano aprovado em Espanha, apurou o Diário Económico.

A medida deverá ser anunciada nas próximas semanas, assim que os detalhes forem fechados com o Banco de Portugal e a Associação Portuguesa de Bancos. Prevê-se que a medida tenha um impacto superior a 2,5 mil milhões de euros nos rácios de capital dos 4 maiores bancos.

A banca defende a transformação dos DTA (Ativos por Impostos Diferidos) em créditos fiscais efetivos, a serem exercidos num período temporal longo, minimizando o risco para o Estado e aliviando a pressão sobre os rácios dos bancos.