A TAP vai repor as anuidades que deveriam ter sido pagas aos trabalhadores entre 2011 e 2015 a partir de janeiro, à cadência de uma por ano, anunciou hoje o presidente executivo da companhia, Fernando Pinto.

Numa carta de Boas Festas hoje enviada aos trabalhadores da TAP, à qual a Lusa teve acesso, Fernando Pinto indica que as anuidades que deveriam ter sido pagas desde 2011, e que foram congeladas no âmbito do programa de ajustamento, “serão repostas gradualmente, a partir de janeiro próximo, à cadência de uma por ano, sempre em janeiro de cada um dos próximos anos, até que se completem os cinco anos perdidos”.

No mesmo modo, a companhia vai considerar, em breve, “as situações em que as anuidades estão integradas na remuneração de função em adenda ao Contrato Individual de Trabalho”. (Corrigiu no primeiro parágrafo o ano de "2001" para "2011").

Fernando Pinto lembrou ainda que "o passado da TAP foi recordado diversas vezes ao longo de 2015 no âmbito das comemorações do 70º aniversário, mas agora, que estamos a iniciar um novo ciclo, é o momento indicado para olhar para o futuro. Por tudo o que tem sido desenvolvido nos últimos tempos, temos todos razões para estar confiantes, pois começamos a ter condições de sonhar com a construção de uma companhia aérea de nível mundial".

"Recordo que a partir do final de 2017 receberemos, de forma gradual, 53 novos aviões que renovarão a nossa frota, tornando-a mais eficiente, mais competitiva e mais confortável para os nossos passageiros", diz a mesma carta.