O presidente executivo da TAP, Fernando Pinto, garantiu esta sexta-feira que "nada vai mudar" para a companhia aérea, que se vai manter nas instalações, depois da venda com aluguer do seu terreno.

"A venda do terreno [do chamado reduto TAP] é o que estava previsto ser feito há dois anos atrás, que não é uma venda. É um 'sale and leaseback', uma operação financeira. É o que nós fazemos com os aviões. Quando se voa não se sabe se é um avião da TAP ou não. Muitas vezes é um avião que tivemos, que o colocámos como garantia numa operação financeira que é chamada de venda com aluguer", explicou Fernando Pinto aos jornalistas, no Algarve.

À margem do 41.º Congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que decorre em Albufeira, o responsável da TAP adiantou que esta era uma operação que a empresa estava a tentar fazer desde há dois anos.

"No ano passado, após a privatização da ANA, tentámos novamente fazê-la com a ANA, mas, por causa do processo de privatização, eles não quiseram. Havia muita indecisão, muita indefinição", acrescentou.

No entanto, agora que a operação é possível, "não muda nada para a TAP", pois "continua nos seus terrenos, nas suas instalações, com a sua manutenção. Apenas vai encaixar um determinado valor", sublinhou, sem quantificar o montante.

A 24 de novembro passado, o Jornal de Notícias noticiou que a transportadora tinha colocado à venda os terrenos do chamado 'reduto TAP', que envolvem a sede, escritórios e oficinas da companhia junto ao aeroporto da Portela.

"Após a conclusão da privatização do grupo TAP, os novos acionistas - David Neeleman e Humberto Pedrosa - arrancam, agora, com medidas de reestruturação da empresa, por forma a reduzir o passivo e racionalizar os ativos do grupo. Para já, está em marcha a venda dos terrenos que a TAP detém junto ao aeroporto. Ao que o JN/Dinheiro Vivo apurou, os contactos para a alienação destes terrenos já começaram", noticiava o jornal.

O 41.º Congresso da APAVT vai decorrer até domingo em Albufeira, onde estão cerca de 500 agentes do setor do turismo, sob o tema "Partilhar o Futuro".