Praia sim, dentro de Portugal e com um orçamento de 700 euros. É esta a receita (turística e orçamental) que norteia a maioria dos portugueses na escolha das férias.

Essa expectativa de gastar 700 euros é, para metade das pessoas que participaram num estudo do Instituto Português de Administração e Marketing (IPAM), sensivelmente o mesmo valor de 2016.

A população elege, assim, a praia e Portugal como destinos de eleição. O estudo conclui, ao mesmo tempo, que os portugueses se mantêm cautelosos, não pretendendo gastar mais do que no ano passado. O trabalho baseou-se numa amostra composta por 475 indivíduos.

Vem demonstrar que 85% dos portugueses prefere tirar férias no verão (julho, agosto e setembro) e que a praia constitui um elemento determinante na seleção do destino de férias para 62% da população".

A maior dos inquiridos (69%) revela a intenção de sair do local habitual de residência durante o período de férias. Portugal é o destino eleito por 72% deles. Depois, na lista, surgem a Europa (20%), África (5%) e América do Sul (3%).

Os destinos preferidos cá dentro

O Algarve continua a ser o destino preferido nesta época do ano (52%), seguido do Alentejo Litoral (23%) e o Norte Litoral (17%). Os restantes dividem-se pelo interior (norte e Alentejo) e centro do país.

Subsídio de férias para que te quero?

Para os gastos previstos de 700 euros durante as férias, 50% dos inquiridos pretende utilizar parcialmente o subsídio de férias.

Como escolher destinos e alojamento?

Quase dois terços dos portugueses fizeram online a pesquisa sobre destino, alojamento e transporte. Segundo os dados do IPAM, há "uma enorme variedade" na escolha de alojamentos: hotéis (31%) e aluguer temporário de casa (21%) estão em destaque nas preferências.

O estudo "Férias 2017" foi elaborado pelo IPAM, com coordenação de Mafalda Ferreira, entre os dias 10 e 26 de julho de 2017 com recurso a uma amostra composta por 475 indivíduos, maiores de 18 anos, 25% deles foram administrados diretamente e 75% foram administrados on-line.