O crédito ao consumo na Europa subiu 7,7% em termos homólogos no ano passado, atingindo os 356 mil milhões de euros em novos créditos, segundo os dados divulgados esta terça-feira pela Eurofinas - Federação Europeia das Associações de Empresas Financeiras.

Este crescimento tem por base o desempenho no mercado do financiamento automóvel, com especial destaque para os veículos particulares e comerciais, lê-se no comunicado da Associação de Instituições de Crédito Especializado, a entidade portuguesa que integra a Eurofinas, segundo a Lusa. 

"Os novos empréstimos de crédito ao consumo apresentaram, no total, ganhos de 6,0% em novos negócios financiados. Os créditos stock e hipotecário contribuíram com uma proporção menor, mas ambos revelaram um forte crescimento, de 8,3% e 19,6% respetivamente. De referir que esta é a primeira vez desde 2011 que as hipotecas registam um crescimento nos indicadores anuais da Eurofinas", informa a federação europeia que analisou os indicadores relativos a 16 mercados.

Crédito ao consumo representa um quarto dos novos empréstimos

Na categoria de crédito ao consumo, os empréstimos pessoais representaram cerca de um quarto dos novos créditos concedidos em 2014 e o crédito 'revolving' um pouco mais de um terço.

O crédito pessoal cresceu cerca de 4,6% e o crédito revolving subiu pela primeira vez em sete anos, tendo registado um aumento de 3,3%. Outra categoria que continuou a crescer foi a dos pontos de venda não automóveis, onde se assinalou uma subida de 3,4% em 2014.

O negócio do financiamento automóvel manteve um desenvolvimento positivo em 2014, com o segmento das viaturas novas a crescer 13,3% e os carros usados 8,2%. A outra categoria de veículos (motos, caravanas etc.) também aumentou 9,3%.

Da mesma forma, houve um forte crescimento (12,0%) na concessão de novos empréstimos para carros de negócios, enquanto os veículos comerciais viram um crescimento de 10,2%. Por seu turno, os veículos comerciais usados foram a única categoria que teve uma evolução negativa (-1,8%).

"Os valores de 2014 revelam a recuperação das condições de mercado, verificando-se melhorias na maioria dos países" sob análise (Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Itália, Lituânia, Holanda, Marrocos, Noruega, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido e Suécia).

O presidente da Eurofinas, Valentino Ghelli, comentou que "no seu todo, os resultados de 2014 refletem a melhoria da situação económica, mesmo nas economias mais vulneráveis. A esfera de financiamento de veículos é, mais uma vez, uma categoria de forte desempenho, embora seja encorajador ver um bom crescimento em todas as categorias de empréstimos".


O responsável perspetivou que "entrando em 2015, os gastos do consumidor deverão manter o crescimento, visto que a Comissão Europeia prevê o crescimento do PIB de 1,7% para a UE e de 1,3% para a zona euro", realçando que as "instituições de crédito ao consumidor podem, portanto, esperar um ambiente de negócios cautelosamente otimista este ano".