O presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Ben Bernanke, afirmou na terça-feira que a retoma económica «tem ainda caminho a percorrer» e que «levará ainda tempo até que a política monetária regresse à normalidade».

Num discurso no National Economists Club em Washington, na noite de terça-feira, Bernanke salientou que as taxas de juro, atualmente próximas de zero, deverão assim continuar até que a taxa de desemprego desça abaixo de 6,5%. Em outubro, a taxa de desemprego nos Estados Unidos foi de 7,3%.

«Estou de acordo com a opinião da minha colega Janet Yellen (?): o caminho mais seguro para uma abordagem mais normal da política monetária é de fazer tudo o que podemos para promover uma forte recuperação», salientou.

O presidente da Fed indicou que as previsões do Comité de política monetária apontam para uma «melhoria do mercado de trabalho e uma inflação próxima do objetivo de 2% a médio prazo».

Se estas previsões forem confirmadas pelos números, acrescentou, o Comité «começará provavelmente a moderar o seu ritmo de compra de ativos».

«Começamos a pensar que o equilíbrio entre a eficácia e o custo [da compra de ativos] torna-se progressivamente menos favorável», reconheceu Bernanke.

Para o presidente da Fed, os efeitos da política monetária seguida pela Reserva «ajudaram os lares americanos a melhorar a sua situação financeira» e não beneficiou só Wall Street.

Bernanke, de 59 anos, termina o seu mandato a 31 de janeiro e não adiantou ainda o que fará depois a nível profissional.