O ex-presidente da Reserva Federal norte-americana, Alan Greenspan, diz que a crise europeia ainda não acabou e que a Europa precisa agora de «consolidação política».

Em entrevista à «BBC», o antigo presidente do banco central dos EUA diz que a «união política» será a única forma de a Europa ultrapassar a crise. «O único caminho passa pela consolidação política», disse.

Para clarificar, Greenspan usou como exemplo do que se «está a ver no Continente» europeu «a unificação entre a Alemanha ocidental e oriental, que também não está a funcionar como devia», devido às assimetrias entre as duas.

Pelo contrário, admitiu, «o programa de austeridade britânico está a resultar melhor do que pensei». Greenspan, que liderou a Reserva Federal por mais de 20 anos, concordou com muitas das ideias defendidas pelo Tea Party, ainda que muitas das táticas utilizadas tenham sido «antidemocráticas».

Já sobre os Estados Unidos, que acabaram de adiar um impasse orçamental para o ano que vem, impedindo que o país entrasse em incumprimento, Greenspan diz que é «perfeitamente concebível» que a situação se repita.