O fabricante de materiais de construção japonês Mitsubishi Materials assumiu que algumas das suas subsidiárias falsificaram especificações técnicas de produtos. Os mercados rapidamente acusaram nervosismo, com a empresa a afundar mais de 8% na bolsa de Tóquio.

A transação das ações da empresa esteve suspensa nos primeiros 18 minutos da sessão e quando voltou às negociações na praça financeira de Tóquio chegou a cair até 10,75%, o pior nível do dia, acabando por encerrar a perder 8,07% até aos 3.760 ienes (28,46 euros).

Foi ontem que a empresa japonesa reconheceu que três subsidiárias falsificaram dados técnicos de alguns dos produtos como cobre ou alumínio, fornecidos às indústrias aeroespacial, automóvel e de energia elétrica.

A Mitsubishi Materials assumiu que o problema afeta produtos vendidos entre abril de 2015 e setembro deste ano. Garante já ter entrado em contacto com 40 de mais de 250 clientes afetados.

A Kobe Steel, uma das maiores siderúrgicas do Japão, admitiu ainda em outubro a manipulação dos certificados de inspeção de alguns dos produtos, os quais foram “reescritos de forma inapropriada e enviados como se cumprissem as especificações”.

Segundo os meios de comunicação japoneses, os dados manipulados estarão relacionados com as características de resistência e outros detalhes técnicos de materiais como ferro, alumínio ou cobre.