Foi uma decisão que caiu como uma "bomba" e com consequência imediatas: a Monarch Airlines, quinta companhia aérea do Reino Unido, caiu na bancarrota e decidiu deixar de operar. Com efeitos já a partir de hoje. Quem tinha voos marcados, deparou-se com uma situação que não esperava.

Há passageiros portugueses afetados e Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) já veio dizer que tem estado em contacto com as autoridades do Reino Unido e veio alertar os passageiros que tenham viajado com a companhia aérea e queiram regressar a Portugal sobre o que devem fazer.

O regulador da aviação civil pede aos passageiros afetados que enviem para o e-mail passageirosmonarch@anac.pt:

  • cópia do título de transporte
  • nome do passageiro
  • aeroporto de origem
  • data do voo de regresso

Tudo para ajudar a diligenciar o seu regresso.

Antes desta informação, a própria Autoridade de Aviação do Reino Unido tiha garantido que os passageiros que estão no estrangeiro regressarão ao seu país sem custos acrescidos.

A Autoridade de Aviação civil admitiu que se trata de uma situação "sem precedentes".

A companhia britânica Monarch declarou falência e deixou, assim, de operar e cancelou todos os voos, deixando em terra cerca de 110.000 passageiros. Ainda manteve conversações com a CAA para renovar a licença e vender pacotes turísticos, mas o limite para o acordo era a passada meia-noite.

O Governo britânico já pediu à Autoridade de Aviação no Reino Unido que aprove a saída de 30 aviões para repatriar passageiros afetados e solicitou aos passageiros que iriam voar hoje que não se dirigissem aos aeroportos.

O fecho imediato das atividades da empresa implica ainda, de acordo com a companhia aérea, a anulação de 300 mil reservas já feitas.

Trabalhadores da Monarch recebem convite de outra companhia

Perante a falência da Monarch Airlines, a companhia aérea easyJet mostrou-se solidária com os seus trabalhadores, incentivando-os a concorrerem aos lugares que estão em aberto na empresa.

A maior unidade de recrutamento da companhia aérea significa que centenas de funcionários da Monarch podem encontrar emprego na easyJet. A empresa contactou hoje os funcionários da Monarch para encorajá-los a se inscrever".

A easyJet anuncia que ainda existem oportunidades para 100 tripulantes de cabine em Luton, 400 em Gatwick, bem como para vários pilotos.

Tina Milton, chefe de serviços de cabine para easyJet, afirmou que conhecem muitas das pessoas que trabalham na Monarch Airlines e que está satisfeita pela sua empresa ter o recrutamento aberto e poder oferecer uma oportunidade aos trabalhadores afetados: "Teremos dias de recrutamento para a Monarch Cabin Crew em Luton e Gatwick esta semana, com 500 lugares ainda disponíveis. Sabemos que a equipa do Monarch será um excelente complemento para a equipe do easyJet e espero conhecer muitos deles esta semana".