O índice de preços da produção industrial recuou 0,1% na zona euro, em maio, relativamente ao mesmo mês de 2012, mas Portugal contrariou a tendência e registou um crescimento de 0,9%, indicou esta terça-feira o Eurostat.

De acordo com os dados divulgados hoje pelo gabinete oficial de estatísticas europeias, no conjunto dos 27 Estados-membros o índice de preços da produção industrial permaneceu estável, o que representa um ligeiro abrandamento do ritmo de queda, já que, em abril, haviam sido registadas descidas homólogas de 0,2% na zona euro e de 0,3% na União Europeia (UE).

Portugal contrariou esta tendência de queda e registou, em maio, uma subida homóloga dos preços da produção industrial de 0,9%, acima do crescimento de 0,6% do mês anterior. Este aumento está, no entanto, longe daqueles que foram observados entre dezembro de 2012 e março deste ano e que oscilaram entre os 3,4% e os 1,5%.

Entre os 27 Estados-membros, as maiores subidas homólogas do índice de preços da produção industrial pertenceram à Estónia (6,7%), à Roménia (4,9%) e à Letónia (2,1%), enquanto as maiores quebras foram verificadas na Polónia (-2,1%), em Chipre (-2%), na Hungria e na Suécia (-1,5% em ambos os países).

Na comparação mensal, isto é, maio relativamente ao mês anterior, o índice de preços recuou 0,3% na zona euro e na UE, atenuando ligeiramente o ritmo de queda, dado que, em abril, haviam sido registadas descidas de 0,6% no conjunto dos 17 países que partilham o euro e de 0,8% nos 27.

Em Portugal, o índice de preços da produção industrial registou uma descida de 0,2%, ligeiramente inferior à queda de 0,3% registada em abril, mas que representa o segundo mês consecutivo de descidas.

Ao nível dos 27 Estados-membros, as maiores quebras mensais foram observadas na Estónia (-3,6%), em França (-1,2%), na Dinamarca e em Chipre (-0,8% em ambos os países), ao passo que a Espanha (1,3%), a Grécia, a Lituânia e a Polónia (0,1% nos três países) registaram as únicas subidas do índice de preços da produção industrial.