Quatro em cada dez frutas, legumes e flores produzidos em território nacional são exportados, foi hoje divulgado, em simultâneo com o anúncio de que Portugal será, em 2015, parceiro oficial da maior feira mundial do setor.

Os dados são da associação Portugal Fresh, que hoje organizou uma ação de promoção no Largo Camões, em Lisboa, com bancas de frutas e legumes portugueses ao dispor de quem passava, para anunciar a parceria com a Fruit Logistica, que vai decorrer entre 4 e 6 de fevereiro de 2015, em Berlim.

O presidente da Portugal Fresh, Manuel Évora, sublinhou que o setor exporta 38% da produção e fatura cerca de 2,6 mil milhões de euros, destacando que este foi «um dia histórico para a agricultura portuguesa», porque Portugal vai estar em destaque num certame que ocupa 17 campos de futebol e recebe 65 mil visitantes de 141 países.

A ministra da Agricultura e Mar, Assunção Cristas, assinalou que o facto de Portugal conseguir ser parceiro da feira alemã no seu quinto ano de participação dará «oportunidade» para reforçar as ações de promoção e divulgação dos produtos nacionais e continuar a impulsionar o crescimento do setor.

Segundo a Portugal Fresh, as exportações de frutas e legumes cresceram 26% nos últimos três anos.

Assunção Cristas sublinhou que as frutas e legumes nacionais têm «margem de progressão» no mercado alemão, onde faturam cerca de 18 milhões de euros, mas acrescentou que o objetivo é diversificar os destinos.

«Estar em Berlim não é apenas olhar para o mercado alemão» ou europeu, afirmou, acrescentando que as exportações para o Brasil, por exemplo, atingem já os 40 milhões de euros anuais.

África do Sul, América Latina e Ásia são algumas das regiões onde os produtores concentram as atenções, apontou.

A ministra avançou que está em curso um processo de acreditação «para abrir o mercado do Japão às cerejas».

Assunção Cristas não quis comentar a possibilidade de haver novas taxas sobre os alimentos, depois de a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, ter sugerido, na terça-feira, tributação adicional sobre «produtos que têm efeitos nocivos para a saúde».