O saldo orçamental provisório das Administrações Públicas registou em janeiro um superavit de de 638,7 milhões de euros, mais 509 milhões face ao mês homólogo do ano anterior.

Segundo os dados da Execução Orçamental relativos a janeiro, o saldo global da Administração Central,cifrou-se em 399,5 milhões, o qual compara com um défice de 167,5 milhões em igual período do ano passado.

Já a receita fiscal líquida do Estado do mês de janeiro ascendeu a 2.950 milhões de euros, um aumento de 10% face a janeiro de 2013. Este crescimento «representa o segundo maior aumento da receita fiscal no primeiro mês do ano nos últimos 10 anos, consolidando a tendência de crescimento observada em 2013», lê-se no comunicado do Ministério das Finanças.

O desempenho da receita fiscal resultou quer do aumento de 19,7% da receita dos impostos diretos, quer do crescimento de 3,0% da receita dos impostos indiretos, com destaque especial para as receitas do IRS (+24,2%) e do IVA (+4,2%).

Relativamente ao IVA, a cobrança voluntária cresceu 8% face ao período homólogo, o que corresponde a um crescimento mensal de cerca de €95 milhões.

A despesa consolidada da Administração Central registou uma redução de 3,8%, face ao período homólogo, a qual é explicada, segundo o Ministério das Finanças, pela evolução das transferências e das outras despesas correntes.