A economia europeia cresceu ligeiramente no terceiro trimestre do ano, 0,1% na zona euro e 0,2% na União Europeia (UE), em comparação com o trimestre anterior, no qual já tinha conhecido ligeiros progressos, confirmou esta quarta-feira o Eurostat.

De acordo com a segunda estimativa para o período entre julho e setembro, hoje divulgada pelo gabinete oficial de estatísticas da UE, o Produto Interno Bruto (PIB) voltou a crescer ligeiramente tanto no espaço da moeda única como no conjunto da União, depois de já ter crescido 0,3% na zona euro e 0,4% na UE, entre abril e junho.

Em termos homólogos, ou seja, comparando com o terceiro trimestre de 2012, a economia da zona euro recuou 0,4%, mas na UE cresceu 0,1%, depois de no trimestre anterior ter contraído respetivamente 0,6 e 0,1%.

Entre os 23 Estados-membros sobre os quais já há dados disponíveis para o indicador, a Roménia foi aquele com maior crescimento relativamente ao segundo trimestre (1,6%), seguindo-se a Letónia (1,2%), Reino Unido e Hungria (0,8% cada), enquanto Portugal esteve em linha com a média da UE, pois cresceu 0,2%, depois de já ter registado um crescimento de 1,1% nos três meses anteriores.

Outros quatro países viram a sua economia contrair: Chipre (-0,8%), República Checa (-0,5%), França e Itália (-0,1%).

Já em termos homólogos, face ao terceiro trimestre do ano passado, Portugal é um dos sete países com uma queda do PIB, de 1,0%, mas a terceira mais baixa, à frente da Finlândia (-0,2%) e da Holanda (-0,8%), mas com melhor desempenho do que Chipre (-5,7%), Grécia (-3,0%), Itália (-1,9), República Checa (-1,6) e Espanha (-1,1).

Irlanda, Grécia, Croácia, Luxemburgo e Malta são os cinco países sobre os quais o Eurostat não tem dados sobre o desempenho do PIB no terceiro trimestre do ano.

Em termos comparativos, o Eurostat aponta que a economia norte-americana cresceu 0,7% no terceiro trimestre, relativamente ao segundo, no qual já avançara 0,6%, e 1,6% em termos homólogos, o mesmo valor registado no segundo trimestre.