As vendas do comércio a retalho em Portugal registaram em dezembro de 2013, face a novembro, uma descida de 5,8%, a mais acentuada da União Europeia, e uma queda homóloga de 1%, adianta o Eurostat.

Segundo o Eurostat, na comparação com novembro, o volume de vendas do comércio a retalho em dezembro diminuiu 1,6% na zona euro e 0,8% na União Europeia.

Já em termos homólogos, isto é, face a dezembro de 2012, este índice de vendas recuou 1% entre os países da moeda única e aumentou 0,1% ao nível dos 28 Estados-membros.

Neste boletim, o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia reviu em baixa os dados sobre novembro (divulgados no início de janeiro), passando a taxa de crescimento mensal de 1,4% para 0,9% na zona euro e de 1,2% para 0,8% na União Europeia.

A taxa de crescimento anual foi igualmente revista em baixa, de 1,6% para 1,3% na zona euro e de 2% para 1,8% na União Europeia.

No conjunto do ano de 2013, o volume de vendas do comércio a retalho recuou 0,9% entre os países do 'euro' e 0,2% entre os 28 Estados-membros.

Na comparação com novembro, entre os Estados-membros com dados disponíveis, as vendas do comércio a retalho caíram em dezasseis países e aumentaram em seis.

As maiores descidas registaram-se em Portugal (-5,8%), em Espanha (-3,6%) e na Alemanha (-2,5%) e os maiores aumentos no Reino Unido (2,6%), em Malta (2%) e na Irlanda (1,4%).

Em termos anuais, isto é, dezembro de 2013 em comparação com dezembro de 2012, registaram-se diminuições nas vendas em oito Estados-membros e aumentos em catorze, tendo as descidas mais acentuadas sido observadas na Alemanha (-2,4%), na Bélgica (-1,9%) e na Finlândia (-1,3%) e os crescimentos mais relevantes no Luxemburgo (9,4%), na Polónia (6,7%) e na Roménia (5,9%).

Portugal verificou uma descida homóloga de 1% nas vendas do comércio a retalho.

Em termos mensais, o setor da alimentação, bebidas e tabaco desceu 1,4% na zona euro e 0,7% na União Europeia, o setor não alimentar caiu respetivamente 1,8% e 0,9%.

Na comparação anual, o setor da alimentação, bebidas e tabaco caiu 1,6% na zona euro e 1,2% na União Europeia, tendo o setor não alimentar recuado 0,4% na zona euro, mas aumentado 1,2% entre os 28.