As vendas do comércio a retalho em Portugal registaram, em setembro, a maior queda (-6,2%) na União Europeia face a agosto, e agravaram a tendência negativa na comparação homóloga (-2,2%), revela esta quarta-feira o Eurostat.

De acordo com o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, em termos homólogos, isto é, relativamente a setembro de 2012, o índice de vendas do comércio a retalho aumentou 0,3% na zona euro e 0,8% no conjunto da União.

Face a setembro do ano passado, as vendas do comércio a retalho cresceram em quinze Estados-membros e diminuíram em sete, tendo Portugal registado a terceira maior queda (-2,2%), sendo ultrapassado apenas pela Eslovénia (-6%) e a Bélgica (-2,8%).

Na comparação homóloga, o Luxemburgo (19,9%), a Polónia (6,5%) e a Bulgária (6,2%) foram os países com maiores taxas de crescimento na União Europeia.

Em setembro, face a agosto, o volume de vendas do comércio a retalho baixou 0,6% na zona euro e 0,3% na União Europeia.

Na comparação mensal, Portugal, com -6,2%, liderou a lista dos treze países com resultados negativos nas vendas do comércio a retalho, à frente da Eslovénia (-4%) e Espanha (-2,5%).

Segundo o Eurostat, as vendas do comércio aumentaram ainda em sete Estados-membros e permaneceram estáveis em França e na Letónia.

Os maiores aumentos na comparação com agosto de 2013 verificaram-se no Luxemburgo (3,1%) e na Polónia (1,6%).

No boletim publicado hoje, o Eurostat reviu ainda os dados publicados no mês passado (3 de outubro), tendo a taxa de crescimento mensal para agosto de 2013 passado de 0,7% para 0,5% na zona euro e de 0,4% para 0,2% na União Europeia.

Já a taxa de crescimento anual das vendas do comércio a retalho na zona euro passou de -0,3% para -0,2% e ao nível dos 28 Estados-membros de 0,3% para 0,4%.