A produção industrial aumentou 0,6% na zona euro e na União Europeia em setembro, comparando tanto com agosto ou com o mesmo mês do ano passado, segundo divulgou esta quarta-feira o Eurostat.

Já em Portugal, de acordo com os números do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, a produção industrial caiu 1,4% em setembro face ao mesmo mês do ano anterior, após vários meses de crescimento.

Comparando setembro com agosto, a queda em Portugal foi de 4,1%, sendo este o segundo maior recuo da União Europeia (apenas atrás da Dinamarca, -5,6%) e depois dos aumentos registados tanto em julho como em agosto.
A nível global, na União Europeia a produção industrial aumentou 0,6%, tanto na zona euro como na União Europeia, ao comparar setembro com agosto ou se a relação for feita com o mesmo mês do ano passado.

Em agosto, face a julho, a produção industrial tinha recuado 1,4% na zona euro e 1,2% na UE.

Na variação mensal, o aumento da produção industrial de 0,6% na zona euro justifica-se com a melhoria de 2,9% na produção dos bens de investimento e 0,3% da energia, enquanto caiu 0,6% a produção de bens intermédios, 0,9% a produção de bens de consumo não duráveis e 2,6% a de bens duráveis.

Os maiores crescimentos em setembro, face a agosto, aconteceram na Croácia (4,6%), República Checa (4,5%) e Irlanda (4,1), sendo que no topo das quedas encontram-se os já referidos Dinamarca (-5,6%), Portugal (-4,1%) e ainda a Holanda (-2%).

Na variação homóloga, setembro de 2014 face a setembro de 2013, destaque para os crescimentos da Irlanda (22,1%), República Checa (5,6%) e Hungria (5,1%) e, em sentido contrário, as quedas de Malta (-7,4%), Suécia (-4,1%) e Grécia (-3,5%).