A produção industrial na zona euro registou em fevereiro, face ao mesmo mês de 2013, um aumento de 1,7%, e na União Europeia (UE) de 2,1%, com Portugal crescer acima da média (4,1%), revela hoje o Eurostat.

De acordo com estimativas do gabinete de estatísticas da UE, na comparação mensal, com janeiro, a produção industrial cresceu 0,2% em fevereiro na zona euro, 0,4% na UE e recuou 0,2% em Portugal.

Os maiores progressos homólogos do indicador foram registados na Eslováquia (9,0%), na Roménia (8,9%) e na Hungria (8,2%), enquanto as principais quebras tiveram lugar na Holanda, (-8,9%), na Finlândia (-5,4%) e na Lituânia (-2,1%).

Já na comparação com janeiro, Malta (5,4%), Irlanda (5,0%) e Lituânia (2,5%) são os países com maior crescimento na produção industrial em fevereiro, enquanto a Croácia (-2,8%), a Estónia (-2,2%) e a Roménia (-1,3%) sofreram as principais quebras.

Face a fevereiro de 2013, o crescimento de 1,7% na zona euro deveu-se a uma evolução de 4,2% da produção de bens intermédios, de 4,0% de bens de investimento e de 2,8% de bens de consumo não duráveis, enquanto a produção de bens de consumo duráveis diminuiu 0,6% e a da energia caiu 8,5%.

Já no conjunto da UE, a produção industrial aumentou 2,1%, na comparação homóloga, por causa do crescimento de 4,6% na produção de bens intermédios, de 4,5% de bens de investimento, de 2,7% nos bens de consumo não duráveis e de 1,5% nos duráveis, enquanto a produção de energia diminuiu 7,2%.