A zona euro registou um excedente no comércio internacional de bens com o resto do mundo de 17,2 mil milhões de euros em outubro, contra os 9,6 mil milhões verificados no mesmo período de 2012, segundo o Eurostat.

De acordo com as primeiras estimativas para outubro do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, ao nível dos 28 Estados-membros, em termos homólogos, o excedente no comércio internacional atingiu os 4,3 mil milhões de euros, enquanto em outubro de 2012 se verificou um défice de 10,2 mil milhões.

Neste boletim, o Eurostat reviu ainda em baixa os valores divulgados para o mês de setembro, passando a zona euro de um excedente de 13,1 mil milhões de euros para 10,9 mil milhões e a União Europeia de um excedente de 0,6 mil milhões para um défice de 0,7 mil milhões.

Na comparação mensal, ou seja, entre outubro e setembro, as exportações na zona euro aumentaram 0,2%, enquanto as importações baixaram 1,2%, enquanto na União Europeia as exportações subiram 0,5% e as importações caíram 0,8%.

Entre os 28 Estados-membros da União Europeia, a Alemanha continua a deter o maior excedente comercial (148,3 mil milhões de euros entre janeiro e setembro), seguida pelos Países Baixos (40,5 mil milhões de euros), pela Irlanda (28,5 mil milhões) e pela Itália (19,6 mil milhões).

Por outro lado, a França (-57,5 mil milhões), o Reino Unidos (-55,1 mil milhões), a Grécia (-14,5 mil milhões) e a Espanha (-11,6 mil milhões) registaram, até setembro de 2013, os maiores défices.

Já Portugal observou, entre janeiro e setembro, um défice comercial de 6,7 mil milhões de euros, abaixo, no entanto, dos -8,1 mil milhões verificados em termos homólogos.