A zona euro registou um excedente de 153,8 mil milhões de euros no comércio internacional de bens em 2013, contra os 79,7 mil milhões de euros em 2012, revelou hoje o Eurostat.

Já a União Europeia (UE) teve um excedente de 49,9 mil milhões em 2013, contra um défice de 115 mil milhões em 2012.

Em dezembro, a zona euro registou um excedente no comércio internacional de bens de 13,9 mil milhões de euros, contra os 9,8 mil milhões registados no mesmo período de 2012, revelou ainda o Eurostat.

Já na UE, o saldo de trocas de bens com o resto do mundo registou um excedente de 8,2 mil milhões de euros, contra um défice de 2,4 mil milhões no período homólogo de 2012.

O gabinete oficial de estatísticas da União Europeia reviu ainda em baixa o excedente comercial dos países da moeda única de novembro de 2013, de 17,1 mil milhões de euros para 17,0 mil milhões, e o saldo da União Europeia, de 4,8 mil milhões de euros para 3,1 mil milhões.

De acordo com o Eurostat, Portugal registou entre janeiro e novembro de 2013 o quinto maior défice comercial entre os 28 Estados-membros: -8,4 mil milhões de euros, que comparam com os -9,9 milhões verificados no mesmo período de 2012).

O Reino Unido apresenta o maior défice (-78,6 mil milhões, seguido pela França (-69,9), pela Grécia (-17,9) e pela Espanha (-14,4 mil milhões).

A Alemanha (185,5 mil milhões de euros entre janeiro e novembro de 2013) continua a apresentar o maior excedente comercial da Europa, acima da Holanda (50,6 mil milhões), da Irlanda (34,6), da Itália (26,8) e da Bélgica (13,9), da República Checa (13,2) e da Dinamarca (10,2 mil milhões).

O Eurostat adianta que, entre janeiro e novembro de 2013, as importações da União Europeia da maioria dos principais parceiros comerciais desceram, com a exceção da Turquia (3%).

No que diz respeito às exportações, os maiores aumentos verificaram-se para a Suíça (28%) e a Coreia do Sul (6%).

Segundo o gabinete de estatísticas comunitário, o excedente comercial da União Europeia aumentou muito com a Suíça (70,9 mil milhões de euros entre janeiro e novembro de 2013 contra 24,6 mil milhões no mesmo período de 2012) e, de forma mais moderada, para os Estados Unidos (84,3 mil milhões contra 80,5 mil milhões), a Turquia (25,8 mil milhões contra 25 mil milhões) e para o Brasil (6,6 mil milhões contra 1,4 mil milhões).

O défice da balança comercial da UE reduziu-se com a China 8-121,6 mil milhões contra -136,8), a Rússia (-78,1 contra -82,6), a Noruega (-35,9 contra -47.0) e o Japão (-2,5 mil milhões contra -8,9 mil milhões).