Portugal registou, no terceiro trimestre do ano, a terceira maior subida da taxa de emprego entre os Estados-membros da União Europeia, com um crescimento de 1,4% face ao trimestre anterior, segundo dados divulgados esta sexta-feira pelo Eurostat.

De acordo com os números do gabinete oficial de estatísticas da UE, a taxa de emprego cresceu 0,2% na zona euro e 0,3% no conjunto da UE no terceiro trimestre, entre julho e setembro, face ao segundo trimestre do ano.

As maiores subidas foram registadas na Grécia (+1,7%), Lituânia (1,5%) e Portugal (1,4%), enquanto na Letónia (-1,7%), Malta (-0,8%), Finlândia (-0,3) e Estónia (-0,2%) o emprego caiu.

Já face ao mesmo trimestre do ano passado, o emprego aumentou 0,6% entre os países que partilham a moeda única e 0,9% no conjunto da UE, no terceiro trimestre. Neste caso, o crescimento do emprego em Portugal foi de 1,9%.
No Boletim Económico divulgado esta semana pelo Banco de Portugal, o supervisor e regulador bancário indica que o emprego do setor privado está a recuperar desde o terceiro trimestre de 2013, mas que essa recuperação é «mais moderada do que a sugerida pelo Inquérito ao Emprego».

O banco central estima que os trabalhadores por conta de outrem «estarão a crescer no terceiro trimestre de 2014 cerca de 2,5% em termos homólogos», previsão abaixo dos números do Inquérito ao Emprego, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, que apontam para um crescimento homólogo de 6% neste período.

O Banco de Portugal diz ainda que um terço da evolução é explicado pelos efeitos das políticas ativas de emprego, em que se inserem os estágios financiados pelo Estado.