O número de pessoas com emprego em Portugal caiu 4% no segundo trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2012, mas registou um aumento de 0,8% em relação ao primeiro trimestre, segundo o Eurostat.

De acordo com os dados do gabinete oficial de estatísticas comunitário, em comparação com o segundo trimestre de 2012, Portugal tem a terceira maior queda no emprego da União Europeia, atrás de Chipre (- 6,1%) e da Grécia (- 4,3%).

No entanto, os dados sobre o emprego em Portugal revelam um desagravamento na tendência de queda em relação aos últimos três trimestres, nos quais foram registados recuos homólogos de 4,1% (terceiro trimestre de 2012), de 4,3% (quarto trimestre de 2012) e de 5,2% (primeiro trimestre de 2013).

Já na comparação com o primeiro trimestre deste ano, Portugal registou, a par com a Lituânia, o segundo maior aumento da União Europeia (0,8%), apenas atrás da Estónia, com 1,5% de aumento do número de pessoas com emprego.

No caso português, estes dados contrariam a tendência de queda registada nos últimos três trimestres (- 0,6% e - 2,1% no terceiro e quarto trimestres de 2012, respetivamente, e - 2,2% no primeiro trimestre de 2013).

Entre os países com as maiores descidas no emprego em relação ao primeiro trimestre estão Chipre (- 2,1%), a Espanha (- 0,5%), os Países Baixos, a Eslovénia e a Eslováquia (todos com - 0,4%)

No conjunto da zona euro, em comparação com o primeiro trimestre do ano, o emprego desceu 0,1%, mantendo-se estável ao nível dos Estados-membros da União Europeia.

Em termos homólogos, o emprego registou uma descida de 1% na zona euro e de 0,4% na União Europeia.

De acordo com o gabinete de estatísticas comunitário existem atualmente 221,8 milhões de pessoas empregadas na União Europeia e 145 milhões na zona euro.