A taxa de desemprego da zona euro fixou-se em 11,3% em fevereiro, segundo os dados divulgados esta terça-feira pelo Eurostat, o que significa um recuo tanto face ao mês anterior como em termos homólogos.

Em janeiro deste ano, a taxa de desemprego dos 19 países que partilham a zona euro era de 11,4%, segundo o valor agora revisto em alta pelo Eurostat (já que a anterior estimativa apontava para 11,2%). Já em fevereiro de 2014, o desemprego atingia 11,8% da população ativa.

Quanto ao total dos 28 países da União Europeia, a taxa de desemprego fixou-se em fevereiro deste ano em 9,8%, também neste caso em recuo tanto face ao mês anterior (10,5%) como face a período homólogo (9,9%).

Na segunda-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE) também divulgou os dados do desemprego para Portugal, tendo estimado que a taxa foi de 14,1% em fevereiro, mais 0,3 pontos percentuais do que em janeiro deste ano e menos 0,8 pontos percentuais face a período homólogo.

Ainda quanto aos dados hoje divulgados pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, entre os Estados-membros, as taxas de desemprego mais baixas registaram-se na Alemanha (4,8%) e Áustria (5,3%) e as mais elevadas na Grécia (26%, valor referente a dezembro de 2014) e Espanha (23,2%).

Na comparação homóloga, o desemprego diminuiu em 22 países, sendo os recuos mais significativos na Estónia (de 8,4% para 6,2% entre janeiro de 2014 e janeiro de 2015), Irlanda (de 12,1% para 9,9%) e Bulgária (de 12,3% para 10,2%). Entre os seis países em que aumentou a taxa de desemprego, destaque para Croácia (de 17,3% para 18,5%), Chipre (de 15,6% para 16,3%) e Finlândia (de 8,4% para 9,1%).

Quanto ao desemprego dos jovens com menos de 25 anos, a taxa atingia 22,9% na zona euro e 21,1% na União Europeia, um recuo face aos 24% e 22,9%, respetivamente, de fevereiro do ano passado.

Em fevereiro deste ano existiam, assim, 4,850 milhões de jovens com menos de 25 anos no desemprego, sendo que 3,245 milhões eram na zona euro.

As taxas mais elevadas de desemprego entre os jovens registam-se na Grécia (51,2% em dezembro de 2014), Espanha (50,7%), Croácia (46,4% no quarto trimestre de 2014) e Itália (42,6%).

As mais baixas foram observadas na Alemanha (7,2%), Áustria (9,0%) e Dinamarca (10,2%).

Em Portugal, em fevereiro, a taxa de desemprego dos jovens situou-se em 35%, aumentando 0,5 pontos percentuais em relação a janeiro.