O BPI está em processo de venda de 146 milhões de euros de obrigações de seguradoras europeias, uma das medidas do banco para melhorar o seu rácio de capital de acordo com as regras de Basileia III.

Segundo as exigências atuais, os bancos têm de cumprir um rácio de capital core tier 1 (medida de avaliar a solvabilidade) de 10% segundo critérios do Banco de Portugal e 9% de acordo com as regras mais exigentes da Autoridade Bancária Europeia. A partir de 2014, com a entrada em vigor das novas regras bancárias, conhecidas como Basileia III, este rácio terá de estar em cerca de 7%.

O presidente do banco, Fernando Ulrich, disse hoje que o BPI já cumpre esse rácio e que o quer aumentar, pelo que está a levar a cabo «medidas de otimização», que passam pela redução em 100 milhões de euros do capital da sua seguradora BPI Vida e Pensões (para que já tem a autorização do Instituto de Seguros de Portugal) e a venda de 146 milhões de euros de obrigações subordinadas perpétuas de seguradoras europeias.

Assim, o excedente do BPI neste rácio de capital passará de 367 milhões de euros, a 30 de setembro, para 588 milhões de euros, adiantou Fernando Ulrich, que disse que as operações deverão estar terminadas antes de final do ano.

Ulrich disse ainda que o banco está tranquilo com os testes que o Banco Central Europeu vai levar a cabo a 130 bancos europeus, entre os quais o BPI.