O ministro holandês das Finanças e também presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, alerta que, caso o “Não” vença no referendo marcado para domingo, a “zona euro não poderá continuar a apoiar a Grécia”.

Esta manhã, o ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis, disse que, caso ganhe o “Sim” se demite do governo que até prefere “cortar um braço” a assinar o acordo sem que este contemple um alívio da dívida. Confrontado com estas declarações, Dijsselbloem diz que esse ponto não é válido, uma vez que “o programa nem sequer foi concluído”.

“Deixaremos a Grécia entregue a si mesma”.


No referendo do próximo domingo, os gregos vão ser consultados sobre se aceitam ou não os termos propostos pelos credores (Fundo Monetário Internacional, União Europeia e Banco Central Europeu) para manter o financiamento ao país. 

Uma nova sondagem publicada esta quinta-feira mostra que, agora, o "sim" vai à frente. 

As negociações entre Atenas e os credores estão congeladas até á realização do referendo, dia 05 de julho.