Uma delegação de nove eurodeputados termina hoje em Lisboa a primeira fase de uma avaliação ao trabalho da troika nos países sob assistência, tendo encontro agendados com a ministra Maria Luís Albuquerque e com o secretário de Estado Carlos Moedas.

A delegação de nove eurodeputados da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu integra os portugueses Diogo Feio (CDS-PP), José Manuel Fernandes (PSD), Elisa Ferreira (PS), Ana Gomes (PS) e Marisa Matias (Bloco de Esquerda).

De acordo com o programa oficial da visita, divulgado pelo gabinete do Parlamento Europeu em Portugal, às 08:30 os eurodeputados reúnem-se com a ministra das Fianças, Maria Luís Albuquerque, e com o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, no Ministério das Finanças, em Lisboa.

Pelas 10:30, a delegação de eurodeputados tem encontro marcado com as comissões parlamentares dos Assuntos Europeus, do Orçamento, Finanças e Administração Pública e ad hoc de monitorização da ajuda financeira a Portugal, na Assembleia da República.

Depois destes encontros, terá lugar uma conferência de imprensa dos relatores Othmar Karas e Liêm Hoang Ngoc, pelas 12:00, no gabinete do Parlamento Europeu em Portugal.

Na segunda-feira os representantes do Parlamento Europeu reuniram-se com José Sócrates, com dois dos seus ministros aquando do pedido de resgate, Pedro Silva Pereira (Presidência) e Vieira da Silva (Economia).

Reuniram-se igualmente com os parceiros sociais, com o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, e com o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas.

Os eurodeputados da comissão de Assuntos Económicos que investigam o trabalho da troika nos países que solicitaram assistência financeira, visitam depois a Grécia (onde estarão a 08 e 09 de janeiro), Chipre (10 e 11 de janeiro) e a Irlanda (16 e 17 de janeiro), o primeiro país a sair do respetivo programa de assistência, em dezembro passado.

No âmbito desta investigação estão ainda previstas audições ao comissário europeu dos Assuntos Económicos, Olli Rehn, a 13 de janeiro, ao ex-presidente do Banco Central Europeu Jean-Claude Trichet, a 14 de janeiro, e ao diretor do Mecanismo Europeu de Estabilidade, Klaus Regling, a 15 de janeiro.