Portugal vai colocar no mercado até 5.750 milhões de euros em leilões de Obrigações e de Bilhetes do Tesouro no terceiro trimestre, informou esta sexta-feira o Instituto de Gestão do Crédito Público (IGCP).

De acordo com o programa de financiamento do IGCP previsto para o terceiro trimestre do ano, a agência que gere a dívida pública portuguesa prevê a realização de «um a dois leilões de Obrigações do Tesouro», esperando-se que sejam colocados entre 750 a 1.000 milhões de euros por leilão, o que poderá totalizar 2.000 milhões de euros.

Estes leilões vão realizar-se na segunda ou na quarta quarta-feira de cada mês, «após anúncio do montante indicativo e linhas de Obrigações do Tesouro a reabrir até três dias úteis antes da respetiva data de leilão», informou o IGCP.

A instituição liderada por João Moreira Rato adianta ainda que vai continuar a explorar «a oportunidade para a realização de uma emissão via sindicato se as condições de mercado e a procura por títulos de dívida pública portuguesa o permitirem», mas não avança com montantes indicativos para esta operação.

O IGCP divulgou também o calendário de leilões de Bilhetes do Tesouro a realizar entre julho e setembro deste ano, estando previstos seis leilões, através dos quais Portugal poderá emitir 3.750 milhões de euros.

Para 16 de julho, está prevista a reabertura de uma emissão a seis meses e o lançamento de outra com maturidade de 12 meses, oscilando o montante indicativo global entre os 1.000 e os 1.250 milhões de euros.

Para o dia 20 do mês seguinte, o IGCP antecipa a reabertura de um leilão de Bilhetes do Tesouro a três meses e o lançamento de um leilão a 12 meses, podendo ser colocados no mercado mais 1.000 a 1.250 milhões.

Com o mesmo montante indicativo, prevê-se a realização de dois leilões, um a três e outro a 12 meses, para 17 de setembro.

Ao todo, entre Obrigações e Bilhetes do Tesouro, o IGCP poderá colocar no mercado 5.750 milhões de euros entre julho e setembro, de acordo com o calendário de financiamento do instituto para o terceiro trimestre, o qual pode, no entanto, ser ajustado.