A Irlanda vai deixar de utilizar as moedas de um e dois cêntimos no final de outubro, com as transações a serem arredondadas aos cinco cêntimos, revela o The Guardian.

É o sétimo país da zona euro a abandonar a utilização das moedas menos valiosas, depois da Bélgica, Dinamarca, Finlândia, Hungria, Holanda e Suécia.

O Banco Central da Irlanda sublinha que a produção de uma moeda de um cêntimo custa 1,65 cêntimos, enquanto a de dois cêntimos fica em 1,94 cêntimos.

Os retalhistas não vão ser obrigados a arredondar os preços, mas serão encorajados a aderir. Estas moedas continuarão, no entanto, a ter valor legal, ou seja, continuará a ser possível depositar ou trocar dinheiro nos bancos.

A medida surge depois de um teste realizado em 2013, em Wexford, em 2013, onde 85% dos consumidores e todos os retalhistas defenderam que o sistema deveria ser adotado a nível nacional.

No Reino Unido, não vai haver mudanças. O Banco de Inglaterra adiantou que não há planos para retirar de circulação as moedas de um e dois cêntimos.