O ministro grego das Finanças, Euclid Tsakalotos, disse esta quinta-feira que o controlo de capitais na Grécia pode ser rapidamente revertido, caso se chegue a um acordo com os credores, o que evita a saída do país da zona euro.

O governante, que discursou no parlamento, falou ainda do papel do BCE, dizendo que o banco central tanto fez pressão do lado grego como do lado dos credores.
 
A Grécia terá êxito na transferência de títulos atualmente detidos pelo Banco Central Europeu para o Mecanismo de Estabilidade Europeu, disse ainda o ministro no parlamento. 

“Aquilo que pedimos antes, que as obrigações gregas detidas pelo BCE possam passar para o ESM, vai acontecer”, realçou.

As derradeiras propostas gregas foram ontem enviadas para Bruxelas dentro do prazo previsto: IVA, novos impostos, descer salários na função pública, criar uma espécie de regime de mobilidade especial, desencorajar reformas antecipadas e privatizar mais do que estava previsto. Se credores aceitarem, tábua de salvação política de Alexis Tsipras poderá ser a reestruturação da dívida.

Esta sexta-feira, o antigo ministro das Finanças, Yanis varoufakis, disse "apoiar inteiramente" as propostas que foram enviadas aos credores, mostrando assim o seu apoio ao seu sucessor.